XII Congresso dos Amigos da Leitura aborda o tema da invisibilidade social

Centenas de meninos e meninas dos quatro cantos do Ceará, encantados com uma história digna de
filme: duas pessoas que se encontraram e mudaram radicalmente, para melhor, a vida um do outro. De
um lado, um garoto especial, que lia e escrevia o mundo através do desenho, mas que era
incompreendido e se sentia invisível. Do outro, uma educadora com o olhar apurado e sensibilidade
para todas as formas de aprender. O resultado desse encontro? O livro O menino que desenhava o
invisível, lançado no último dia 20 de agosto, durante o XII Congresso dos Amigos da Leitura, na Bienal
Internacional do Livro do Ceará, com a presença do garoto, hoje adulto e ilustrador do livro, Wagner
Sales e da professora e autora do livro, Tatiana Passos.
O Congresso é uma iniciativa da Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará
(APDMCE) e parceiros do projeto Eu Sou Cidadão – Amigos da Leitura e reuniu amigos da leitura de 28
municípios, além de escolas de Fortaleza, em um momento de congraçamento e de muito aprendizado.
Na solenidade de abertura do Congresso, Iris Moura Oliveira, Presidente em exercício da Associação e
prefeita de Hidrolândia destacou o quão rejuvenescer e empolgante é o programa Eu sou Cidadão e fez
um resgate do surgimento do projeto, que não apenas estimula a leitura, “mas aborda temas do
cotidiano de forma lúdica, estimulando reflexões e mudanças de atitudes. Um dos grandes desafios que
temos é tornar o livro um acessório indispensável à formação das pessoas, porque só o conhecimento
liberta!”.
Participaram da solenidade o prefeito de Piquet Carneiro, representando a APRECE, Bismarck Bezerra; a
deputada estadual e presidenta da Comissão da Infância e da Adolescência da Assembleia Legislativa do
Ceará, Érica Amorim; a secretária executiva da Secretaria da Educação do Estado, Juçara Batista; o
coordenador do UNICEF no Ceará, Rui Aguiar; Dante Cristino Menezes, representando a OAB; a expresidente
da APDMCE, representando o gabinete do dep. Estadual Nezinho, Jô Farias; Luíza Amélia
Costa, secretária de educação de Crateús, representando a UNDIME; dr. Antônio Lima, do Ministério
Público do Trabalho; Vânia Dutra, primeira-dama de Horizonte e Tamara Bezerra, primeira-dama de
Piquet Carneiro; e os amigos da leitura Vitória, de Fortim e Rael, de Acopiara, que transformou o enredo
do livro em poema e declamou, emocionando a todos.
Depoimentos
Para Rui Aguiar, do UNICEF, parceiro do Projeto, esse livro é muito especial pela temática abordada. “Eu
acho que ele vai proporcionar um movimento forte. O Eu sou Cidadão é um projeto de incentivo à ação,
a criar uma militância muito jovem pelos direitos humanos. Espero que essa reflexão de hoje estimule o
que falta ainda pra gente se conscientizar de que nenhum direito humano está garantido sem a nossa
ação cotidiana. A gente não pode ficar tranquilo e achar que as coisas estão tranquilas e consolidadas.
Nada está tranquilo e nem consolidado se não tiver a nossa ação e esse livro é um chamamento à ação”.
Vicente Lima Barroso, 14 anos, morador de Horizonte, é veterano no Projeto. Levado pela curiosidade,
ingressou no Amigos da leitura aos 9 anos e segue firme e forte, e sempre se surpreendendo com as
narrativas e os livros. “Eu queria saber como era por isso entrei, mas quando eu entrei comecei a gostar
bastante porque não só as pessoas aprendem, mas a gente também, e eu gosto muito de ler,
principalmente de ler para os outros”.
Vicente ficou impressionado com o
tamanho da Bienal e a alegria
contagiante de tatos amigos
da leitura juntos.