Mulher: Uma história de força e superação

O dia 8 de março é um marco na luta pelos direitos das mulheres e é especial porque celebra suas conquistas ao redor do mundo nas últimas décadas. As mulheres hoje, votam, tem média de escolaridade maior que a dos homens, governam países e estão inseridas amplamente no mercado de trabalho.

Antes, as mulheres tinham papéis específicos na sociedade: nasciam para serem filhas exemplares e, mais tarde, esposas, donas de casa e mães dedicadas. Passados alguns séculos a mulher passou a buscar a igualdade de gênero e a conquistar seu espaço no mercado de trabalho.

Apesar de possuir escolaridade maior que a dos homens, o gênero feminino ainda está em condições desfavoráveis com relação aos mesmos no mercado de trabalho. Embora tendo conquistado cargos de diretoria, presidência e chefias, o salário delas é 30% menor, ocupando a mesma função dos homens.

Ainda há muito que avançar para se alcançar a igualdade de direitos entre homens e mulheres. Pesquisa aponta que a cada cinco minutos, uma mulher é agredida no Brasil. Em cerca de 70% dos casos, quem agride é o marido ou namorado, de acordo com relatório do Ministério da Justiça de 2012.

A data de comemoração do dia das mulheres é simbólica. No entanto, é uma boa maneira de inserir o debate sobre os direitos das mulheres e colocar o tema em pauta. É importante, por exemplo, a discussão nas escolas e nas comunidades sobre igualdade de condições para os gêneros.

O tempo passou e as mulheres conseguiram se destacar em diversas áreas. Nas últimas décadas, elas têm mostrado sua competência no trabalho e força o suficiente para encarar os desafios do mundo dos negócios com persuasão e vontade.

Preparação e oportunidade são dois ingredientes fundamentais para uma carreira de sucesso. Neste caso, é bom observar o que está ocorrendo nas salas de treinamentos, nas universidades, no mercado de trabalho, nos cargos e resultados de concursos públicos. Veremos que todos estes ambientes têm um dado em comum: a forte e destacada atuação da mulher, participando ativamente, preparando-se e construindo oportunidades profissionais.

Em função desta realidade, teremos em breve, a predominância de mulheres na liderança das organizações públicas e privadas, como resultado desta preparação profissional que estão envolvidas. Não haver uma disputa de espaço com os homens, mas sim a busca da própria ascensão social da mulher enquanto indivíduo.

A prioridade da maternidade diante da escolha profissional e a influência dos pais na escolha da carreira traçam fortes características na liderança feminina, como a ousadia para a mudança e a abertura para o novo. Assim sendo, quando uma mulher desafia os estereótipos e objetiva ascender em sua carreira, ela ambiciona provar seu valor em dobro.

Hoje, a maioria das mulheres é filha, mãe, esposa, dona de casa, profissional e ainda consegue tempo para cuidar da saúde e da aparência. Para dar conta de tantos compromissos e funções de maneira plena, a mulher moderna se tornou uma ”supermulher”, que muitas vezes é chefe de suas famílias.

Mulher: Uma história de força e superação – é nesse sentido que a APDMCE vem buscando fortalecer junto à sociedade a garantia dos direitos de gênero visando à cidadania e autonomia das cearenses. O Programa “Mulher Cearense”, desenvolvido pela instituição desde 2006, vislumbrando impactar no ser social “mulher” o empoderamento da promoção de sua autonomia de forma integral, pela realização de ações em diversas áreas, como: vida saudável e ativa, participação política, família e comunidade, com fins de fortalecer junto à sociedade a garantia de seus direitos.

É por esses e outros motivos que a presidente da APDMCE, Jô Farias, e demais membros da diretoria desejam a todas as mulheres um feliz dia internacional da mulher, em especial aquelas que contribuem para avanço de nossos municípios.