40 técnicos concluem Formação em Gerontomotricidade

?

Apresentar o trabalho que você realiza, conhecer as experiências dos outros municípios, trocar informações e, ainda aprender técnicas importantes que ajudarão o idoso a retomar sua autonomia e independência, foram só algumas das conquistas proporcionadas pelo Curso de Gerontomotricidade, que ocorreu entre os dias 9 e 13 de julho, em parceria com a Universidade do Parlamento, da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará.

Essa é a segunda vez que a APDMCE realiza esse curso. A primeira aconteceu em 2009, e como os resultados foram mais que satisfatórios, pensou-se em repetir a experiência agora em 2012.Até mesmo porque, discutir o envelhecimento saudável é uma necessidade, das mais urgentes, em um país que tem sua população envelhecendo cada vez mais.

A turma, formada por terapeutas ocupacionais, enfermeiros, assistentes sociais e até educadores físicos estava bem motivada. “Tanto na primeira, como nessa segunda turma, o que percebi em ambas é a vontade de se tornarem multiplicadores. Para isso, a recomendação que dei a eles é que cheguem aos seus municípios e já comecem logo a colocar em prática o que aprenderam aqui, porque só assim eles vão conseguir, de fato, assimilar tudo”, afirmou Lucila Bomfim, professora do curso e terapeuta ocupacional com o título de gerontóloga pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

Alana Lima, facilitadora de grupos de convivência com idosos em Horizonte, afirmou a vontade de participar do Curso desde a primeira vez. “A minha expectativa era enorme, porque sabia da importância do tema para o meu trabalho. As atividades são simples, do dia-a-dia mesmo, mas que causam um impacto muito positivo quando bem trabalhadas com os idosos”, afirmou Alana. Segundo ela, a ansiedade agora está em retornar ao município e dividir o conteúdo aprendido com outros profissionais que também trabalham com idosos no município.

?

Para que serve a Gerontomotricidade?
Formação em Gerontomotricidade
A técnica da Gerontomotricidade devolve ao idoso sua liberdade e autonomia para realizar alguns movimentos e trabalhar algumas percepções que são perdidas com o envelhecimento, como a condução da marcha, a postura, o equilíbrio, a audição, a visão, a coordenação motora, entre outros.